Quimera

Na manhã constante que ocupa o seu modo de viver, perdura o anseio do que é curioso e distinto. Acordar d’outro lado do leito, recitar termos nunca ditos ou completar a coleção de matryoshkas, ah, isso já não lhe trazem mais a essência do incomum. Seu ventre, calabouço das fantasias alegóricas. Sua face, jaula dos […]

Sinestesia

Com tragos e trajes distintos, Assim a vida passei: Meio só e inteiramente sem ninguém. Percebi que não nasci amante. Mas ao poucos, E aos custos, Me apaixonei. Diante do tempo arrastado, Contei todos os minutos Para te encontrar uma hora. Vento vai, Vento traz, Aquela calma, Naquela cama. Me canta E me encanta. Assim vou […]