Amor #5

Eu disse que estava sem sono. Não queria dormir, tampouco contar as horas de sono até que o Sol aparecesse e me desse dois tapas na face. Eu lhe acordei. Mexi os cabelos, de leve. Um beijo no rosto. Vi seus olhos despertarem, metade sono, metade curiosidade, então um sorriso. “Oi, amor, tô sem sono”. […]

Sono dos justos

A Lua, cuja bruma superficial Encanta além do seu nevoado Rés-do-chão, pôs-me a sonhar, Inesperadamente, com Seu sugestivo pensamento Perfeitamente agradável à vista. Fui pega de sopetão, nem imaginei Sequer que cairia em seus braços Doces e perfumados de cafuné. Sensível, confortada e leve, Assim eu estava defronte a melhor Espressão de bondosa noite. Acabei […]