Quimera

Na manhã constante que ocupa o seu modo de viver, perdura o anseio do que é curioso e distinto. Acordar d’outro lado do leito, recitar termos nunca ditos ou completar a coleção de matryoshkas, ah, isso já não lhe trazem mais a essência do incomum. Seu ventre, calabouço das fantasias alegóricas. Sua face, jaula dos […]

La lune

Todos os dias ordenava para a minha vitrine os ternos traços, que dessa maneira os julgava, de mim. Decepcionava os que procuravam por marcas notáveis à primeira vista. Após duas ou três olhadelas, esgotava-se o meu leque de cartas nada radiantes. Em meio ao ritual do revés, pela pequena fresta da janela, eu avistei uma luz. Foi […]

Cela

No fim do mundo que ninguém habita, mesmo assim, encontrei a solidão. Sentada na melhor poltrona, reconheceu o meu semblante com a rapidez de uma dormideira ao frágil toque. Corri do que vi. Corri do que senti. Aproximando-se de mim, sussurrou o medo, o vazio. No primeiro estorvo, confessei. Logo demos as mãos. – Nesta vida […]